O que são EPRs?

Segundo a NBR 12543, de 1999: “Equipamento de Proteção Respiratória é o equipamento que visa a proteção do usuário contra a inalação de ar contaminado ou de ar com deficiência de oxigênio”. Todos os setores da indústria, comércio e prestação de serviços possuem atividades que podem causar algum tipo de alteração dos parâmetros ou a própria composição do ar atmosférico natural. Dessa forma, todas as atividades que apresentem alguma forma de risco para o trato respiratório devem contar com projetos de engenharia desenvolvidos para impedir ou minimizar doenças aos trabalhadores. Quando por algum motivo for impossível prever ou impedir tais situações, o uso de proteção respiratória é obrigatório e deve ser seguido conforme pede a norma.

Segundo o PPR da Fundacentro:

“O uso de EPR tem como objetivo principal prevenir a exposição por inalação de substâncias perigosas e/ou ar com deficiência de oxigênio.
Quando não for possível prevenir a exposição ocupacional, o controle da exposição adequada deve ser alcançado, tanto quanto possível, pela adoção de outras medidas de controle que não o uso de EPR. Medidas de controle de engenharia, tais como, substituição de substâncias por outras menos tóxicas, enclausuramento ou confinamento da operação e sistema de ventilação local ou geral e medidas de controles administrativos, como a redução do tempo de exposição, devem ser consideradas.
O uso de EPR é considerado o último recurso na hierarquia das medidas de controle e deve ser adotado somente após cuidadosa avaliação dos riscos. Existem situações, entretanto, nas quais ainda pode ser necessário o uso de um respirador, tais como:

a) outras medidas de controle já foram adotadas, mas a exposição à inalação não está adequadamente controlada;
b) a exposição por inalação excede os limites de exposição e as medidas de controle necessárias estão sendo implantadas;
c) a exposição por inalação é ocasional e de curta duração, sendo impraticável a implantação de medidas de controle permanentes (por exemplo, em trabalhos de manutenção, de emergência, fuga e resgate). ”


Tipos de Contaminação
O ar respirável pode ser contaminado com diversos tipos de aerodispersóides, vapores, gases tóxicos, agentes físicos ou químicos que de alguma forma possam causar algum efeito direto ou indireto ao sistema biológico.

 

Referências

NBR 12543, Equipamentos de Proteção Respiratória – Terminologia, Rio de Janeiro, Associação Brasileira de Normas Técnicas, 1999

TORLONI, M (coord.). Programa de Proteção Respiratória. Recomendações, uso e seleção de respiradores. São Paulo. Fundacentro. 2002.