20 Gases mais tóxicos 

Segue abaixo uma relação de 23 gases tóxicos e perigosos. É uma relação com alguns dos gases mais perigosos e mortais para os trabalhadores envolvidos com esses compostos. Os limites de exposição ocupacional foram retirados dos sites da Occupational Safety and Health Administration (OSHA), National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH), American Conference of Industrial Hygienists (ACGIH) e do portal do Ministério do trabalho e emprego (MTE).  É apresentado ainda os limites IPVS (imediatamente perigoso a vida e a saúde) de exposição para cada gás alvo da lista, ou Immediately Dangerous To Life or Health Concentrations (IDLH). 
São comentados as características gerais desses gases, como por exemplo a densidade de cada um em relação ao ar atmosférico, odor, cor, inflamabilidade e condições de desprendimento ou liberação dos mesmo. A densidade relativa é uma característica interessante pois mostra como o gás se comporta na atmosfera, se é mais leve ou mais pesado que o ar atmosférico. Isso é importante para saber se em caso de vazamento, esse gás permanece próximo ao chão ou se se dissipa rapidamente.

 
GAS
Densidade relativa ao ar = 1
Fórmula Química
Características
1
0.59

A amônia é um gás alcalino, oxidante e tóxico. Sua densidade é quase metade da densidade do ar e tem um odor característico. O nível de segurança máxima é 25 ppm (ACGIH) e 20 ppm pela NR 15 e, a sua alcalinidade torna altamente reativos com os gases ácidos e o cloro e, a sua presença em atmosferas contendo outros gases é frequentemente mascarado por este. O nível imediatamente perigoso a vida e a saúde (IPVS) para o gás amônia é de 300 ppm (IDLH).

 
A amônia é inflamável com um limite inferior de explosividade (LIE/LEL) de 15%. Ele é produzido em grandes quantidades em todo o mundo para fornecer fertilizantes, ureia para resinas, explosivos e fibras (como nylon). É também usado como um gás refrigerante e essa aplicação tem aumentado com o desaparecimento dos CFCs.
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para detectar esse gás mas também pode ser utilizado detectores por fotoionização (PID).
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 25 ppm / TWA, 35 ppm STEL
OSHA PEL: 50 ppm (35 mg/m3) TWA
IPVS / IDLH: 300 ppm
NR 15: 20 ppm (jornada de 48 horas / semana)
2
Arsina (ou hidreto de arsênio)
2.7
ASH3

Arsina é um gás incolor, inflamável e altamente tóxico. Possui um odor semelhante ao de alho ou de peixe que pode ser detectado em concentrações acima de 0,5 ppm. Como a arsina não é irritante e não produz sintomas imediatos, pessoas expostas a níveis perigosos podem não estar cientes de sua presença. É geralmente fornecido em cilindros como um gás comprimido liquefeito. O gás arsina é gerado quando metais ou minérios em estado bruto contendo impurezas de arsênio são tratados com ácido. O gás arsina é também usado na indústria de semicondutores para a fabricação de microchips.

 
Limites de exposição ocupacional
OSHA (PEL): 0.2 mg/m3 TWA
ACGIH (TLV): 0.005 ppm, TWA
NIOSH (REL): 0.002 mg/m3 Ceiling (15 min); Potencialmente carcinogênico.
NR 15: 0,04 ppm (jornada de 48 horas / semana)
3­­
Bromo
5.5
Br2
O Bromo é usado para a fabricação de uma variedade de compostos ​​na indústria e na agricultura. O bromo é também utilizado na fabricação de fumigantes, agentes à prova de chama, compostos para purificação de água, corantes, medicamentos, desinfetantes, brometos inorgânicos para a fotografia, etc.
O bromo é usado para fazer óleo vegetal bromado, o qual é usado como emulsionante em muitos refrigerantes aromatizados com citrinos.
O bromo elementar é um elemento muito irritante quando em forma concentrada, irá produzir bolhas dolorosas na pele e mucosas caso ocorra exposição dessas partes. Mesmo em baixas concentrações, o vapor de bromo (≤ 10 ppm) pode afetar a respiração, e a inalação de quantidades significativas de bromo pode danificar seriamente o sistema respiratório. Possui cor marrom-avermelhado escuro, é um líquido fumegante e sufocante e sua fumaça é irritante.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0.1 ppm TWA, 0.3 ppm STEL
OSHA PEL: 0.1 ppm (0.7 mg/m3) TWA
IPVS / IDLH: 3 ppm
NR 15: 0,08 ppm (jornada de 48 horas / semana)
4
1.53
CO2
Apesar de expiramos o dióxido de carbono e que o mesmo está presente na atmosfera, em cerca de 400 ppm, o nível de segurança máxima é 5000 ppm (0,5%) e 3900 ppm (NR 15). É produzido durante a combustão e na fabricação da cerveja, destilação e outros processos de fermentação, e é um dos principais constituintes, junto com o metano, de gases de aterro sanitário e de biodigestores. O CO2 apresenta um risco significativo na indústria cervejeira, sobretudo porque o gás é mais pesado que o ar e acumula em níveis baixos. Não tem cor, nem cheiro e não é inflamável. Há algum grau de risco, em lugares lotados, mal ventilados, e este problema é muitas vezes agravado pela deficiência de oxigênio. O CO2 também é utilizado para aumentar o crescimento da planta por meio da elevação dos níveis normais em estufas.
É inodoro e incolor, e difícil de medir na faixa de ppm. Absorção de infravermelho é a técnica de detecção de costume adotada mas também são utilizados detectores óticos de chama (ótica flame detector).
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 5,000 ppm TWA, 30,000 ppm STEL
OSHA PEL: 5,000 ppm TWA
IPVS / IDLH: 50,000 ppm
NR 15: 3900 ppm (jornada de 48 horas / semana)
5
0.97
CO

O monóxido de carbono é incolor e inodoro e o gás tóxico mais abundante. Tendo uma densidade semelhante à do ar, mistura-se com facilidade e é facilmente inalado. Ele é conhecido como “assassino silencioso”, em ambientes domésticos.  Comparativamente, o CO se liga muito mais fortemente à hemoglobina do que o oxigênio (O2) e faz dele um gás extremamente tóxico e letal.

Qualquer processo onde não há combustão incompleta de combustível orgânico é susceptível a produzir o monóxido de carbono como produto (indesejável). A queima de gasolina, diesel, caldeiras de carvão, gás natural e outros derivados de petróleo, e até mesmo o cigarro produzem CO quando a queima do combustível é pobre em oxigênio. A sua presença em minas é devido à combustão lenta de carvão.
 Também é utilizado em grandes quantidades como um agente redutor químico barato, por exemplo, na produção de aço e noutros processos de refinação de metais e de tratamento térmico, e na produção de metanol por meio de reação com hidrogênio.
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para a detecção desse gás (CO).
 
Limite de exposição ocupacional
OSHA (PEL):50 ppm TWA
ACGIH (TLV): 25 ppm TWA
NIOSH (REL): 35 ppm,  TWA: 200 ppm
NR 15: 39 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 1500 ppm
6
2.5
Cl2

O cloro tem cheiro pungente, corrosivo e um líquido verde / gás amarelo. O uso mais conhecido é na purificação de água para abastecimento doméstico e em piscinas. É usado para fazer os compostos clorados, tais como o PVC, e para o branqueamento de papel e tecidos. É um gás muito pesado e é facilmente absorvido pela maioria dos materiais.

O comportamento de cloro faz dele um gás muito difícil de detectar (tão difícil que ainda requer técnicas especiais de calibração).
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para a detecção desse gás (Cl2).
 
Limites de exposição ocupacional
NR 15: 0,8 ppm
ACGIH TLV-TWA – 8 h: 1 ppm
OSHA PEL: 1 ppm
IPVS / IDLH: 300 ppm
7
Dióxido de cloro
2.3
ClO2

O dióxido de cloro é um gás amarelo avermelhado e é um dos vários óxidos conhecidos do cloro. Pode espontaneamente ou de forma explosiva se decompor em cloro e oxigênio. O dióxido de cloro é utilizado primariamente no branqueamento de polpa de madeira, mas também é utilizado para o branqueamento de farinha e para a desinfecção da água.

O dióxido de cloro é utilizado em muitas aplicações industriais de tratamento de água como um biocida, incluindo torres de resfriamento, água de processo e processamento de alimentos. Se inalado, o gás dióxido de cloro provoca irritação no nariz, garganta e pulmões.
 
Limites de exposição ocupacional
TWA: 0,1 ppm (média de 8 horas / dia)
STEL: 0,3 ppm (exposição curta)
NR 15: 0,8 ppm (jornada 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 10 ppm
8
Diborano
0.96
B2H6

O diborano tem um limiar de odor entre 2 e 4 ppm, o que é significativamente maior do que o limite de exposição de 0,1 ppm. Exposições de baixo nível prolongadas, tais como aqueles que ocorrem no local de trabalho, pode levar à fadiga olfativa e tolerância de efeitos irritantes de diborano.

Tal como outros gases tóxicos, o diborano, não é sentido pelo olfato humano em concentrações que ofereçam risco e por isso é tão perigoso.
O diborano é mais leve que o ar e sua exposição pode resultarem problemas na pele, vias respiratórias e mucosas e irritação nos olhos em áreas com pouca ventilação ou fechados. O diborano é utilizada em propulsores de foguetes, como vulcanizador de borracha, como catalisador para a polimerização de hidrocarbonetos, e como um agente de dopagem para a produção de semicondutores.
 
Limites de exposição ocupacional:
NIOSH REL: 0.1 ppm TWA
OSHA PEL: 0.1 ppm TWA
ACGIH TLV: 0.1 ppm TWA
IPVS /  IDLH: 40 ppm
NR 15: 0,08 ppm (jornada de 48 horas / semana)
9
Óxido de etileno
(ETO)
1.52
C2H4O

O óxido de etileno é usado como um intermediário na produção de etileno glicol que é amplamente usado como um fluido de arrefecimento de automóveis e anticongelante. É também usado para esterilizar produtos alimentares e medicamentos. É um gás inflamável incolor ou líquido refrigerado com um odor levemente doce. O gás de óxido de etileno mata bactérias, mofo e fungos, e pode ser usado para esterilizar substâncias que seriam danificadas por meio de técnicas de esterilização, tais como a pasteurização que dependem de calor. Além disso, o óxido de etileno é utilizado para esterilizar produtos médicos, tais como ligaduras, suturas, instrumentos cirúrgicos e ferramentas.

O óxido de etileno é tóxico quando inalado. Os sintomas de superexposição incluem dor de cabeça e tonturas, evoluindo com o aumento da exposição para convulsões e coma. A inalação do óxido de etileno por várias horas pode fazer os pulmões se encherem de água.
 
Limites de exposição ocupacional
ACGIH LT (TLV) Limite de tolerância: 1 ppm
NR 15: 39 ppm (jornada de 48 horas/semana)
OSHA PEL: TWA 1 ppm
NIOSH REL: TWA < 0.1 ppm
IPVS / IDLH: 800 ppm
10
Flúor
1.3
F2

O flúor apresenta um odor acre característico. É um elemento corrosivo, oxidante, tóxico e venenoso de inalado.  

O flúor molecular é utilizado para a corrosão por plasma, na fabricação de semicondutores e de produção de telas plana. O flúor é adicionado em algumas fontes de água da cidade, na proporção de até uma parte por milhão (≤ 1 ppm) para ajudar a prevenir a cárie dentária.
Os compostos de flúor, incluindo o fluoreto de sódio, são utilizados em pasta de dentes para evitar as cáries dentárias. Tanto o flúor quanto os íons fluoretos são altamente tóxico e deve ser manuseado com muito cuidado e qualquer contato com a pele e os olhos deve ser evitado.
O flúor é um oxidante poderoso que pode causar danos a qualquer matéria orgânica.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: TWA 0.1 ppm
OSHA PEL: TWA 0.1 ppm
IPVS / IDLH: 25 ppm
NR 15:  não apresenta
11
Cianeto de hidrogênio ou cianureto ou gás cianídrico
0.94
HCN

 O cianeto de hidrogênio é um gás extremamente volátil, venenoso e com cheiro doce (amêndoas amargas), incolor e com nível de exposição máximo de 10ppm durante no máximo 15 minutos. Os cianetos iônicos são extremamente venenosos a vários seres vivos, em especial, aos humanos, neste caso, devido à habilidade do íon em se combinar com o ferro da hemoglobina, bloqueando a recepção do oxigênio pelo sangue, matando a pessoa exposta por sufocamento. A principal aplicação industrial é o refino de ouro e prata e a galvanoplastia desses materiais. Também pode ser utilizado na síntese e fabricação de alguns polímeros.

 
Limites de exposição ocupacional
NR 15: nada consta
12
Ácido clorídrico
1.3
HCL

O cloreto de hidrogénio é um gás incolor altamente corrosivo e tóxico que forma vapores brancos em contato com a umidade. Esses gases consistem de ácido clorídrico que se forma quando o cloreto de hidrogénio dissolve-se na água. O gás de cloreto de hidrogénio, bem como o ácido clorídrico são importantes na indústria, especialmente os produtos farmacêuticos, semicondutores, o tratamento de borracha e de algodão. Ele também é emanado a partir de incineradores de resíduos em que o PVC é queimado. A inalação de vapores pode causar tosse, asfixia, inflamação do nariz, da garganta e do trato respiratório superior, e, em casos graves, a morte.

 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 5 ppm
OSHA PEL: 5 ppm
NR 15: nada consta
IPVS / IDLH: 50 ppm
13
Ácido (gás) fluorídrico
0.92
HF
 Fluoreto de hidrogênio ou ácido fluorídrico é usado para refino de petróleo, fabricação de vidro, fabricação de alumínio, decapagem de titânio, purificação de quartzo. Se inalado pode causar dispneia, broncoespasmos, obstrução das vias respiratórias e queimaduras das vias superiores, percorre os tecidos vivos, penetrando na corrente sanguínea e demais tecidos até atacar o tecido ósseo.  Dependendo da concentração pode atingir pulmões, coração e rins e levar a óbito rapidamente.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: TWA 3 ppm / 6 ppm [15-minute] 
OSHA PEL: TWA 3 ppm
NR 15: 2,5 ppm (jornada de 48 horas/semana)
IDLH: 30 ppm
14
1.2
H2S

O sulfureto de hidrogênio é um gás tóxico muito comum em refinarias de petróleo por ser um subproduto (indesejado) nas reações de quebra das moléculas de hidrocarbonetos. Tem cheiro de ovos podres em baixas concentrações. Em altas concentrações (> 60 ppm) não pode ser sentido devido à paralisia das glândulas olfativas, e a exposição pode levar à paralisia instantânea. O H2S é um pouco mais pesado que o ar, e assim detectores fixos são geralmente montados de 1 a 1,5 metros do solo, ou perto de fontes potenciais de vazamentos.

O H2S também é produzido durante a decomposição de materiais orgânicos e, é muitas vezes encontrado preso em galerias de esgoto ou locais com pouco oxigênio e matéria orgânica em decomposição. É um componente do biogás e encontrado em grandes quantidades em praticamente qualquer lugar em que o esgoto é tratado.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 10 ppm [10 minutos]
OSHA PEL: 20 ppm 50 ppm [10 minutos – pico]
NR 15: 8 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 100 ppm (CDC/NIOSH)
15
Metil Mercaptana
Metanotiol
1.66
CH3SH

Mercaptana é um composto (CH3SH) adicionado ao gás natural (metano) para tornar mais fácil a sua detecção e evitar acidentes já que o gás natural, no seu estado natural é incolor e inodoro. A mercaptana contém enxofre, e tem um forte odor semelhante a repolho podre ou ovos podres. Ao adicionar mercaptana ao gás natural, qualquer vazamento de caldeiras, fornos e aquecedores de água quente são facilmente detectados, sem a necessidade de equipamentos caros.

Outros usos para a mercaptana na indústria incluem combustível de aviação, produtos farmacêuticos, aditivos em alimentos para animais, indústria de plásticos e pesticidas. É uma substância natural encontrada no sangue, cérebro e outros tecidos de pessoas e animais e, é liberada nas fezes de animais. Ocorre naturalmente em alguns alimentos, tais como algumas nozes e queijos. A mercaptana é menos corrosiva e menos tóxica do que os compostos de enxofre semelhantes (H2S).
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0,5 ppm [15 minutos]
OSHA PEL: 10 ppm [10 minutos – pico]
NR 15: 0,04 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 400 ppm (CDC/NIOSH)
16
1.53
1.04
2.62
N2O,
NO
NO2
Existem três óxidos de nitrogênio: O óxido nitroso (ou gás do riso), só pode levar a óbito (por asfixia) se inalado em concentração suficiente para ocupar o local do oxigênio. O óxido nitroso é um anestésico geral fraco, e, geralmente, não é usado isoladamente, em anestesia. No entanto, uma vez que tem uma toxicidade muito baixa de curto prazo e é um excelente analgésico, então uma mistura 50/50 de óxido nitroso e oxigênio é comumente usados durante o parto, para procedimentos odontológicos, e em medicina de emergência.
O óxido de nitrogênio (NO) e o dióxido de nitrogênio (NO2) são os constituintes dos chamados NOx que junto com o dióxido de enxofre provoca a chuva ácida. As principais causas desses gases na atmosfera é de queima de combustíveis fósseis em motores de veículos e plantas de energia. O óxido nítrico (NO) é responsável por cerca de 90 % do NOX na saída dos escapamentos e chaminés das indústrias. Reage espontaneamente com o oxigênio na atmosfera para produzir dióxido de nitrogênio (NO2). O óxido nítrico (NO) é um gás incolor, mas o dióxido de nitrogênio é um ácido acastanhado, e com cheiro pungente.
 
Limites de exposição ocupacional
 
Óxido nítrico (NO)
NIOSH REL: 25 ppm TWA
OSHA PEL: 25 ppm TWA
ACGIH TLV: 25 ppm TWA
NR 15: 20 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 100 ppm
 
Dióxido de nitrogênio (NO2)
NIOSH REL: 1 ppm STEL
OSHA PEL: 5 ppm CEILING
ACGIH TLV: 3 ppm TWA, 5 ppm STEL
IPVS / IDLH: 50 ppm
Descrição da substância: gás marrom-avermelhado, o líquido é castanho amarelado (acima de 70 ° F) com um odor pungente e acre.
 
Óxido nitroso (N2O)
NIOSH REL: TWA 25 ppm
OSHA PEL: não disponível
IPVS / IDLH: nada consta
17
1.6
O3
O ozônio é um gás instável, e é gerado pela ação do raio ultravioleta que quebra a ligação da molécula de oxigênio (O2) para se ligar de maneira instável a outra molécula de oxigênio para formar o O3. É cada vez mais utilizado para o tratamento de água no lugar do cloro. O ozônio pode ser detectado em baixas concentrações eletroquimicamente. 
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0.1 ppm CEILING
OSHA PEL: 0.1 ppm TWA
ACGIH TLV: 0.1 ppm CEILING
IPVS / IDLH: 10 ppm
NR 15: 0,08 ppm (jornada de 48 horas / semana)
Descrição da substância: Incolor, com um odor muito picante.
18
Fosgênio
3.48
COCL2
O fosgênio é um importante produto químico industrial usado na produção de plásticos, corantes e pesticidas. É também utilizado na indústria farmacêutica. O gás fosgênio podem aparecer incolor ou como um branco pálido levemente amarelado. Em baixas concentrações, tem um odor agradável de feno recém-cortada ou milho verde, mas seu odor não pode ser observada por todas as pessoas expostas. Em concentrações elevadas, o odor pode ser forte e desagradável.
Tal como acontece com todos os gases tóxicos do odor não fornecer aviso adequado de concentrações perigosas.
O gás fosgênio é mais pesado do que o ar, por isso é mais provável encontra-lo em áreas baixas.
O gás fosgênio pode lesionar a pele, olhos, nariz, garganta e pulmões.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0.1 ppm TWA
OSHA PEL: 0.1 ppm TWA
ACGIH TLV: 0.1 ppm TWA
IPVS / IDLH: 2 ppm
NR 15: 0,08 ppm (jornada de 48 horas / semana)
Descrição da substância: gás incolor com um odor sufocante de feno mofado.
19
Fosfina
1.2
PH3
A fosfina é altamente tóxica, e portanto tem STEL de apenas 0,3 ppm. Gás fosfina é usado para controle de pragas por fumigação. A fosfina é também utilizado na indústria de semicondutores.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0.3 ppm TWA, 1 ppm STEL
OSHA PEL: 0.3 ppm TWA
ACGIH TLV: 0.3 ppm TWA, 1 ppm STEL
IPVS / IDLH: 200 ppm
NR 15: 0,23 ppm (jornada de 48 horas / semana)
Descrição da substância: gás incolor com um odor de peixe ou alho.
20
Silano
1.3
SiH4
O silano à temperatura ambiente é um gás, pirofórico, que significa que ele sofre combustão espontânea no ar, sem a necessidade de ignição externa.
Existem várias aplicações industriais e médicas para o silano. Por exemplo, os silanos são utilizados como agentes de acoplamento para aderir as fibras de vidro numa matriz de polímero para a estabilização do material compósito. As aplicações incluem repelentes de água, alvenaria / selante e proteção de concreto e aplicação de camadas de silício policristalino em wafers de silício na fabricação de semicondutores, e selantes. Os efeitos na saúde incluem dor de cabeça, náuseas, irritação na pele, nos olhos e trato respiratório.
 
Limites de exposição ocupacional
OSHA: 5 PPM
IPVS / IDLH: não disponível
NR 15: não disponível
21
Dióxido de enxofre
 Ou anidro sulfuroso
2.25
SO2
O dióxido de enxofre é incolor e tem um cheiro característico e asfixiante. Ele é formado quando ocorre a queima de enxofre e materiais que contenham enxofre, como petróleo e carvão. Ele é altamente ácido, quando dissolvido em água dá origem ao ácido sulfúrico. Junto com os óxidos de nitrogênio, é a principal causa da chuva ácida.
O SO2 é encontrado em áreas industriais termoelétricas e outras indústrias que queimas combustíveis fósseis como o carvão, e é matéria-prima para muitos processos. Tem uma utilização no tratamento de água para deslocar o excesso de cloro e por causa das suas propriedades de esterilização é utilizado no processamento de alimentos.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: TWA 2 ppm
OSHA PEL: TWA 5 ppm
NR 15: 4 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 100 ppm
22
Hexa-flúor sulfuroso
5
SF6
O SF6 é usado na indústria de energia elétrica como meio de isolamento gasoso, altamente resistente à corrente elétrica, usado em circuitos de disjuntores de alta tensão, interruptores, e outros equipamentos elétricos. O SF6 gasoso sob pressão é usado como um isolador em comandos de comutação isolados devido as propriedades isolantes (meio dielétrico) por isolar mais que o ar e o nitrogênio (N2) seco. Embora a maior parte dos produtos de decomposição rápida tendem a se reformar em SF6 novamente, o arco voltaico ou corona, pode produzir o S2F10, um gás extremamente tóxico, com toxicidade semelhante ao fosgênio.
O plasma de SF6 também é utilizado na indústria de semicondutores como solução de gravação, e na indústria de magnésio. Também é emitido durante o processo de fundição de alumínio.
Quando SF6 é inalado, a afinação da voz de uma pessoa diminui dramaticamente porque a velocidade do som no gás SF6 é consideravelmente menor do que no ar. Este é um efeito semelhante ao do óxido nitroso. Como SF6 é cinco vezes mais pesado do que o ar que ele desloca o oxigênio necessário para a respiração. Traços de tetra fluoreto de enxofre tóxico, pode ter efeitos graves na saúde.
 
Limites de exposição ocupacional
NIOSH: PEL-TWA: 1,000 ppm OSHA  / REL-TWA:  1,000 ppm
ACGIH: TLV-TWA: 1,000 ppm
NR 15:  não disponível
IPVS / IDLH: NIOSH não estabelece
23
Não aplicável
Compostos orgânicos voláteis (COV) são emitidos como gases de certos sólidos ou líquidos. VOCs incluem uma variedade de produtos químicos, alguns dos quais podem ter efeitos adversos para a saúde a curto e longo prazo. VOCs podem ser encontrados em ambientes internos domésticos ou comerciais, devido às emissões dos produtos de limpeza doméstica, pesticidas, materiais de construção, equipamentos de escritório, tais como fotocopiadoras e impressoras, gráficos e materiais de artesanato, incluindo colas e adesivos, marcadores permanentes e soluções fotográficas.
Os combustíveis são compostas de produtos químicos orgânicos, e pode libertar vapores durante o uso e, até certo ponto, quando são armazenados.
Os efeitos na saúde incluem irritação de olho, nariz e garganta, dores de cabeça, perda de coordenação, náuseas, danos ao fígado, rins e sistema nervoso central. Os principais sinais e sintomas associados à exposição a compostos orgânicos voláteis incluem desconforto no nariz e na garganta, dores de cabeça, e reações na pele.
Tal como acontece com outros poluentes, a extensão e a natureza do efeito de saúde dependerá de muitos fatores, incluindo o nível de exposição e tempo de exposição.
Alguns COV conhecidos são o acetaldeído, acetileno, Acrilonitrilo, butadieno, dissulfeto de carbono, sulfureto de carbonilo, sulfureto de dimetilo, etanol, etileno, formaldeído, metanol, metil mercaptano, tolueno, acetato de vinil, acetona, benzeno, acetato de etilo, a metilamina, a metil etil cetona, tetracloroetileno e cloreto de vinil, xileno. Os COVs pode ser detectada por meio de sensores de PID ou, em alguns casos, por sensores eletroquímicos.
Claudinei Machado
CoFundador da Breathe Sistemas de ar respirável